Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Sensui

Filmes da Semana

Recommended Posts

Mega, tomei a liberdade de mesclar, já que o outro tópico não havia sumido.

Os filmes que lembro das últimas 2 ou 3 semanas:

- A Serious Man: Irmãos Coen. Humor Negro. 7,0
- The Man Who Stares at Goats: Humor Negro. Contra-guerras. 6,8
- Cão sem Dono: Drama. Nacional. Peca do meio pra frente. 7,0
- Once Upon a Time in the West: Tem gente que julga o melhor western de todos os tempos. É soberbo, mas não acho o melhor. 8,7.
- 3:10 to Yuma: Western de 2007. Não curti muito, mas a revisita ao tema é muito bem-vinda. 6,5.
- Green Zone: mais um filme de guerra recente e politizado. Sujeira dos Estados Unidos. Olha, gostei muito. 7,5
- Siriana: mais um filme de guerra recente e politizado. Sujeira dos Estados Unidos. Gostei muito também, pena que exagera na teia de politicagem (tu precisa de um mapa pra não se perder). 7,0


Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Assisti ontem no Inter Cine da Globo, depois do Programa do Jô, um filme chamado "A Guerra das Perucas", de 2000.

"No filme, Colm (Barry McEvoy) é católico e George (Brian F. O'Byrne), protestante. Em Belfast, Irlanda, na década de 80, os barbeiros podiam ser inimigos, mas se tornam sócios. Depois de convencer um vendedor de peruca, conhecido como Scalper (Billy Connolly), a vender suas criações, os dois começam a atender os clientes em casa - porém, sempre em bairros considerados perigosos. No entanto, Colm e George acabam se metendo em muitas brigas e confusões por conta da diferença religiosa."

Gostei da forma como brincam com os conflitos, faz você dar risada, mas te mostra a realidade do local.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites


Veja Iron Man 2, é bem mais hilariante!


Eu assiste este piratex também, quero assistir em Blu-Ray, mas ainda não chegou aqui. Na verdade o cara da locadora tinha comprado foi o HDF2 mesmo, mas por engano veio o 1º. :Pw:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Morte no Funeral

Chorei de rir, melhores piadas de enterro dos últimos tempos, apesar de os comediantes principais não serem do meu agrado, por exemplo Martin Lawrence, nunca gostei dele. Mas em compensação o Danny Glover fazendo papel de velho rabugento ficou excelente!!!

Assistam!

O Contador de Histórias

Filme nacional, uma história real, como já tinha assistido a entrevista dele no Jô Soares, infelizmente já assisti com spoilers, mas ainda assim, um filme que achei bom. Mostra um cara que cresceu na FEBEM e não virou delinquente na vida adulta.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valhala Rising
Veja a imagem abaixo por sua conta e risco, mostra um pouco da violência do filme

[img alt=


Valhalla Rising engana fácil. Tem clima de grande  épico, mas é um filme fantasmagórico. A trama parecia girar em torno de  um guerreiro viking, se transforma numa Cruzada e, numa metamorfose  insinuada lentamente, vira numa jornada sem rumo. O diretor Nicolas  Winding Refn criou um projeto arriscado: um épico praticamente sem  batalhas, quase mudo, com personagens vagando sem direção. O resultado  deve frustar a maioria que pode se interessar pelo filme pela ação que  não existe ou pela mitologia nórdica que mal é citada, mas me pareceu  instigante. O filme, anti-climático, é a mais radical  desromantização das Cruzadas que eu vi no cinema. Nada que lembre de  longe aquela tentativa rasa de criar um filme político-religioso sobre o  assunto, como fez Ridley Scott. Aqui, o diretor trabalha muito mais  numa arena existencialista e leva seus personagens com ele. A violência  existe. Na maior parte das cenas em que há violência, ela é brutal - e  muito bem filmada. Mas são poucos esses momentos. O filme, no geral, é  um exercício de contemplação. Quase não há ação.
Uma sequência, na  virada da primeira hora do filme, é o melhor exemplo para como todos os  personagens estão completamente perdidos num lugar sem nome. Chega a  ser angustiante. Mas talvez o mais impressionante seja a construção  visual de Valhalla Rising. A fotografia, mesmo cheia de  filtros, coisa que eu costumo não gostar, é uma obra-prima na criação  de quadros. Há pelo menos uns quinze momentos de beleza sublime em que a  tela parece pintada. Mas todos eles servem ao roteiro; são fundamentais  para a criar a ambientação do filme. Um filme sobre a busca incessante  por um sentido.

Cheguei a cochilar no final, mas vale a pena, mesmo sendo extremamente parado, com o ar de desespero contido.

The Box

Este é um dakeles filmes viagens. A história gira em torno de uma caixa que faz o casal se decidir por 2 caminhos:

Aperta o botão vermelho ou não. Apertanto, o casal ganhará 1 milhão de dólares, porém uma pessoa que vc não conhece, morrerá.

Outro que tb gostei, mesmo sendo um pouco estranho o desenrolar. Porém, após terminar o filme deixa akela sensação sinlenciosa pensando sobre todo o processo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O mestre da guilhotina voadoraMostra a luta de um cego contra um amputado. O cego é parecido com o Pai Mei e usa uma arma muito louca, um chapéu que arranca cabeças! O amputado não tem o braço direito. Este filme mostra a diferença entre covardia e esperteza.
Ouvi rumores de que este é o filme preferido do Tarantino, e não duvido que seja!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valhala Rising

Esse filme tá na minha lista de esperas!
O trailer é sanguinolento e promissor.

Tu falar que dormiu não me assusta!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Esse Valhala Rising parece ser bem diferente, mas se o Sol dormiu no fim acho que dormirei no meio do filme hehehehe... :Pw:

Mas se eu ver na locadora eu pego! :thumbupw:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É bom ter uma locadora meio alternativa por aí. Esse filme saiu por fora dos holofotes.

Do mesmo diretor, eu tenho a trilogia Punisher aqui no PC. É de mafia moderna e tal... mas nunca juntei ânimo pra assistir.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Assisti o Valhala Rising.

Que merda.

Confesso que as cenas onde ocorre violência, elas são super bem filmadas e tal. Só que isso não é o bastante para abafar os diversos outros erros..., trilha sonora ridícula, enredo e história toda mal construída.

Me fiz força para não cochilar umas 4 vezes durante o filme.

Não recomendo nem pro meu pior inimigo.

Um filme com uma atmosfera bem parecida apesar de não ter nada haver com guerreiros nórdicos e cruzadas. Assistam Ravenous:



As cenas de violência não são tão boas quanto o de cima. Até pq o filme é antigo. Mas se tiverem a bondade de ver. É bem mais digerível, que este Valhala.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu avisei... Não sou de dormir em filmes, mas esse Valhala, não teve jeito...

Hj assisti O Lobisomem, tem uma fotografia muito parecida com o Cavaleiro Sem Cabeça, porém, perde em tudo deste. Vale pelos efeitos especiais e só.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A compilação do carnaval até agora:

- Monster (2003)

Não vou gastar palavras com esse. É bem fraquinho. Rendeu o Oscar a Charlize Theron por conta da transformação pra viver a tal serial, que realmente é incrível. Mas para por aí.

Nota: 5,5.

- Departures (2008)

Enrolei pra ver o ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro do seu ano. O filme me fez chorar e é muito profundo. Isso o torna bom? Não necessariamente. A perda de potencial é muito grande. É digerível feito os filmes americanos: direcionado pro choro, previsível, pouco "espiritual" (e por Deus, essa é a melhor característica de filmes asiáticos e não é bem explorada numa película SOBRE MORTE), com muita narrativa explicativa e pouco uso do clima e da fotografia.

Que pena...

Ainda assim é um ótimo filme. Só o tema e o carga emocional em algumas partes já pagam a viagem.

Nota: 7,0.

- Spring, Summer, Fall, Winter and Spring (2003)

Pegue toda falta de espiritualidade que citei acima e coloque aqui. O copo vai enchendo, enchendo, e quase transborda de tanta espiritualidade.
É um filme essencialmente budista. Trata de karma, ciclos, vida. Se você estiver no clima, como eu estava, não tem como não gostar. A fotografia é soberba (também, dá quase pra dizer que foi fácil fazer isso com o local exorbitantemente belo escolhido para o filme).

Nota: 8,0.

- Say Anything... (1989)

Um clássico da sessão da tarde que, sei lá por que motivo, nunca passou na sessão da tarde (ao menos eu nunca vi).

Sério, é muito bom como todo filme de graduação daquela época era.

Mas tem um diferencial: o drama da incerteza da faculdade e das mudanças, que nos demais filmes da época eram sutis pano-de-fundo pro tema principal, as encrencas juvenis, nesse filme tomam o foco e acompanham o casal num roteiro bem mais pé-no-chão, mas não menos divertido.

O Cusack tá muito bem como ator principal. É claro, nos padrões do que um filme do gênero pede, que não envolve chorar bem.

Nota:8,5.

- Kiss Kiss-Bang Bang (2005)

Downey jr, ação, comédia, beijos e tiros (dah) em LA. Sério, não sei como esse filme passou batido aqui pelo Brasil (e por mim!) durante esses anos. É muito bom.

Pros puritanos, um aviso: tem bastante violência e humor negro. Não vá alugar pra ver com a família achando que é um filme de ação/comédia comum.

Nota: 8,5.

- Bin-Jip (2004)

Foi a pérola do meu carnaval.

É do mesmo diretor do "Spring, Summer...", então prepare-se para a abordagem budista de novo. Mas nesse o tema está inserido numa "aula" menos didática que "Spring, Summer...", numa linguagem mais refinada, menos óbvia, que consegue ser tão bonita quanto, mesmo sem as paisagens e o enredo trabalhado do último.

Nota: 8,7.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sabia que estava esquecendo um:

- Au Revoir, Les Enfants (1987)

Francês (dah). Durante a segunda guerra, em território francês ocupado pelos alemães, escola católica recebe escondido jovens judeus.

Ainda que você esteja de saco cheio de filmes de holocausto, a ótica da película é toda na visão dos estudantes, o que dá um oxigênio e foge do lugar comum.

Nota: 8

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×