Ir para conteúdo
Brek

Excessos do movimento feminista

Recommended Posts

Em entrevista publicada nesta semana em VEJA, Juliana Paes expõe suas opiniões sobre o ofício de atriz, a luta da mulher bonita para ser reconhecida e o feminismo. A atriz fluminense adverte que o poder conquistado pelas mulheres de bandidos convertidas em primeiras-damas do crime – caso de Bibi, sua personagem em A Força do Querer, novo folhetim das 9 da Globo, de autoria de Glória Perez – não tem nada a ver com o empoderamento tão propalado pelas feministas. Juliana também tece críticas ao que considera excessos do feminismo. “Existe uma linha do feminismo com a qual eu não concordo muito. Acho errado esse desejo de igualdade com os homens a todo custo. Somos tão competentes e valiosas quanto eles, mas não iguais. A mulher precisa de mais tempo para se recuperar de uma gravidez, e há outras questões que permeiam nosso universo. A sensibilidade, o lúdico, o caminho da ponderação, o afeto nas relações de trabalho — tudo que faz parte do universo feminino e matriarcal deve ser respeitado”, declara.

Juliana acredita que a mulher é capaz de encarar papéis de chefia em lugares masculinos, mas que se deve “valorizar mais sua sensibilidade para lidar com tanta testosterona”. Para a atriz, o afeto feminino pode ser um “antídoto para lidar com a frieza do mundo do business.” Juliana afirma, ainda, que as feministas se equivocam ao não respeitar essas características das mulheres. “Não quero queimar sutiãs. Gosto de sutiãs! Não quero quebrar saltos de sapato em busca de liberdade. Gosto de me enfeitar, e nós, mulheres, não fazemos isso para o macho. Fazemos porque dá prazer cuidar de si e cuidar do outro. Sou uma feminista de saia, sutiã, salto alto e batom vermelho.”

Fonte: http://veja.abril.com.br/entretenimento/nao-quero-queimar-sutias-diz-juliana-paes/

 

***

 

Coloquei aqui algo atual dito por uma mulher, pois se fosse homem seria considerado machismo. Apenas para comentar como penso semelhante a isso e acho um exagero o que certas feministas, muitas vezes apelidadas de Feminazis pelo excesso, protestam no dia-a-dia. Ainda mais quando isso é seguido de muitas elogiando e dizendo que é para ser assim.

É bom ver de vez em quando alguma figura pública mulher comentar sobre esses exageros, pois se for homem iria sobrar veneno das feministas exageradas. Até mesmo para essa atriz sobrou um pouco de veneno já que depois do que ela disse já comentaram que ela menospreza as mulheres e tal... :(

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

ainda não Brek, graças a deus o feminismo aqui não ficou como nos Estados Unidos, Canadá e Europa. O treco ficou polarizado demais ponto de ficar um assunto tóxico. Tenho acompanhado com consternação o novo feminismo.  Anita Sarkeesian, é ate "moderada" nessa nova roupagem do feminismo.

 

Temos pessoas como Mandi Gray que deliberadamente mentiu sobre ser estuprada para ganhar compensação monetaria e prestigio.

Jennifer Keller que alegou que um youtuber era um terrorista, tanto que ela o denunciou para policia(tentou fazer um swatting) e mandou varias cartas para o chefe dele alegando que era um neonazista/terrorista e deveria ser demitido por isso.

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se Mexeu com UMA mexeu com TODAS...tem que ter uma :Mexeu com UM mexeu com TODOS tb...rs

Ou melhor :

-Não constranja  Nenhum ser,respeite-o

Bem típico do feminismo achar que as mulheres são as vítimas sempre...

Um dia no metrô um rapaz falava com outro que sofria assédio em todo o lugar...que ficava revoltado porque apenas as mulheres se queixam de serem assediadas e tal...

Todos  no metrô inclusive eu ,achou que ele estava se gabando por ter um belo físico e  um rosto bem bonito...

Numa estação entrou uma senhorinha com seus cinquenta e tal e se alojou exatamente embaixo do sovaco do rapaz...e mesmo eu chegando para o lado e dando um espaço a ela, já que eu estava ao lado do rapaz...ela ficou lá...todos ficaram rindo pois quando o metrô saía ou parava, ela aproveitava o balanço e se esfregava no corpo dele.

Ele que conversava com o amigo simplesmente falou:

-Lembra do que eu estava falando?Então, é isso...rs

Quando ela desceu todos no metrô riram muito alto...e o rapaz  e seu amigo saíram rindo tb...

Mas quem disse que homem reclama de ser assediado? Pelo contrário com poucas exceções ,eles ficam até se sentindo valorizado e conta a todos como se fosse um elogio.

Por isso achamos que apenas as mulheres são as vítimas...na verdade são as mulheres que denunciam mais e se ressentem mais,ou usam o assédio com um trunfo pra demonstrar que está sendo notada e ser mais notada por causa do ato.

Quanto ao José Mayer se ele realmente tocou as partes íntimas da figurinista no meio de todos os colegas como uma chacota...realmente está se achando acima do bem e do mal e acha que as mulheres são prêmios...Mas vamos esperar para ver se realmente foi isso...nem tudo é real as vezes a fumaça é grande ,mas nem sempre há fogo...rs

bjim em todos!

 

 

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bem...vivendo e aprendendo .
Sabendo de minha sobrinha de 16 anos que é líder de um movimento feminista na escola e conversando com ela sobre os direitos das mulheres e tal...Ela explicando para mim pq de ter entrado para esse Movimento Social Feminista (MSF).
Falou que entrou nesse movimento feminista para combater o femismo que na verdade é uma parte das feministas que se afastaram dos seus ideais de luta pelos direitos e valorização das mulheres, e que na verdade são mulheres que tem preconceitos contra o homem e agem como os machistas ridicularizando,menosprezando os seres do outro gênero. Femista seria o mesmo que Machismo. Não tem o apoio das Feministas...Mas como são mulheres e estão dentro desse movimento social as pessoas acabam confundindo Feminismo com Femismo.
Achei bem interessante a tese dela.Vcs já tinham ouvido falar sobre?

Enviado de meu SM-J320M usando Tapatalk

Femismo seria o mesmo que Machismo no sentido de se sentir superior ao outro gênero.

Enviado de meu SM-J320M usando Tapatalk

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

São as femistas que estão no congresso passando leis injustas contra os homens. E as feministas as apoiam em vez de combatê-las, porque também querem vantagens injustas, como por exemplo se aposentar anos antes que os homens, receber mais investimentos públicos para doenças femininas do que os homens recebem para doenças masculinas que matam tanto quanto ou até mais (veja a diferença entre as campanhas de câncer de mama vs câncer de próstata, o SUS tem muito mais ginecologista do que urologista), etc.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não desejando entrar em guerra dos sexos, sou a favor da mulher se aposentar antes dos homens.Mulheres têm dupla jornada de trabalho fora de dentro do lar, ainda que o homem ajude, o cuidado com casa sempre recai sobre ela a maior parte,sendo casada ou morando na casa dos pais, sofre dores por no mínimo 5 dias ao mês e sangra 7 deles, como a geradora de vidas sofre muito nas gestações..
(até minhas obturações caíram na gestação ) e depois que são mães, nunca mais terá tempo livre para si.
Quanto a campanha do câncer e investimentos públicos eu acho justo que sejam feitas na mesma proporção e quanto aos movimentos feministas sempre há os mais exaltados.


Enviado de meu SM-J320M usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Juliana Paes está tentando agradar alguém com esse discurso. Ela acabou de dizer que está ok com a sociedade machista patriarcal em que vivemos. E, por mim, ok! Ela tem o direito de pensar o que quiser.

Na questão da dupla jornada, ela acontece exatamente por causa da nossa cultura machista. O certo é a parceria, o meio a meio, é a consciência de que todos devem trabalhar igual debaixo do mesmo teto. Na minha casa tem semanas que eu trabalho muito mais que ela, noutras ela faz mais coisas. Não existe essa de "lar é responsabilidade dela". É de todos.

Quanto a questão da aposentadoria, não consigo formar uma opinião por causa das variantes. Tem deputada defendendo que mulheres sem filhos trabalhem mais que mulheres com filhos por terem menos responsabilidades. Se nem as mulheres conseguem chegar num acordo, não sou eu que vou pensar em algo. ;)

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Acredito que as mulheres deveriam se aposentar na mesma época que homens, mas também não sou a favor de cota para negros e sim para pessoas que estudaram no ensino público. São dois casos em que muitos que não merecem acabam sendo favorecidos, mulheres que não tem dupla jornada e pessoas negras que estudaram toda a vida em escolas particulares.

Acho que devemos seguir o exemplo de diversos outros países de primeiro mundo e até alguns sulistas, mas Brasil é Brasil. Aqui as coisas demoram para evoluir já que como nunca fazem uma reforma decente todo presidente acaba por mexer em algo da previdência. 

Ao menos aproximaram a idade, antes a diferença era de 5 anos entre homem e mulher e agora, se a reforma passar, será 3 anos. Com o tempo devem igualar.

Essa história de dupla jornada para mulheres é mais algo da geração passada, hoje em dia muita coisa mudou e as mulheres não andam aceitando fazer tudo sem ajuda dos homens. Christian é um exemplo, eu sou outro, assim como tantos homens com dupla jornada também. Não é por isso que tem que se aposentar cedo, não quer dupla jornada com filhos não tenha filhos. Chega a ser o cúmulo dizer que nunca descansa por que tem que prestar atenção nos filhos, pois isso é tarefa dos pais e mães, não só das mães.

Além do ponto de que as pessoas estão cada vez mais evitando ter filhos, taxa de natalidade caindo absurdos ultimamente. Claro que continuaremos tendo muitas mulheres com dupla jornada, assim como teremos homens na mesma situação mesmo que em quantidade menor, mas cada um deve ter as consequências das escolhas que faz. Que escolham maridos companheiros que ajudem ou mulheres (se forem lésbicas)... Ou nem tenham filhos, com certeza o trabalho diário é bem menor. ^_^

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Concordo com Christian e em parte com Brek no sentido de ser tarefa dos dois cuidarem da casa,mas no caso dos filhos geralmente a maior carga fica mesmo por conta das mães, muitas abandonam suas carreiras ,faculdade. ..Para cuidar dos filhos depois da licença maternidade.

Enviado de meu SM-J320M usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
8 horas atrás, Maressa Kristorm disse:

Concordo com Christian e em parte com Brek no sentido de ser tarefa dos dois cuidarem da casa,mas no caso dos filhos geralmente a maior carga fica mesmo por conta das mães, muitas abandonam suas carreiras ,faculdade. ..Para cuidar dos filhos depois da licença maternidade.

Enviado de meu SM-J320M usando Tapatalk
 

Sim, muitas fazem isso e muitas não. Para as que abandonam o emprego para ser dona de casa e/ou cuidar dos filhos não dá para considerar dupla jornada, já que não tem 2 empregos, mas sim 1. O de cuidar do lar. E mesmo assim é questão do cônjuge também ajudar quando este estiver no lar.

Lembrando que essa questão de cuidar dos filhos o dia inteiro é mais nos primeiros anos, depois pelo menos meio período ele está na escola. E cuidar dos filhos não deveria ser considerado um trabalho quando toda a família está em casa (após o dia de trabalho doméstico/empresarial/etc), deveria ser considerado curtir a família. ;)

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Minha sogra teve 2 filhos e a responsabilidade foi dela e do meu sogro, igualmente. Essa dupla jornada tem que ser vista como uma opção, e não obrigação. A mulher que escolheu ter filhos com um cara machista sem ter um plano de carreira que englobe tudo não deveria reclamar depois dessa sobrecarga. Filho normalmente é uma escolha. Os casos onde acontecem acidentes "de fato" são poucos.

Pra mim, descuido não é acidente. A mulher não usar métodos contraceptivos corretamente (pílula, por ex) ou o cara não usar camisinha não são acidentes. Acidente é quando a pílula falha (neste caso a empresa é obrigada a bancar a criança até os 18 anos) e a camisinha estoura. E, em ambos os casos, ainda existe a opção da pílula do dia seguinte. Então, hoje em dia, é complicado ter um filho "sem querer".

Voltando ao assunto da responsabilidade, vejo muito pela minha mãe. Ela abandonou o trabalho pra cuidar dos filhos e hoje se arrepende. E eu concordo que ela deveria ter continuado trabalhando. Dá pra ver o quanto isso mexe com ela.

A mulher deveria ser responsável apenas pela gestação por uma questão biológica. Não estou falando em termos legais porque a lei dá um suporte para mulheres que são abandonadas com os filhos. Falo da questão cultural mesmo, do cara se ver moralmente obrigado a prestar toda assistência pra mulher e para a criança, ter esse peso na consciência. Aí sim muita coisa vai mudar.

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se todos pensassem assim seria muito bom.
Muitos esposos não cooperam em nada com os trabalhos do lar e dizem:
-Estou cansado, trabalhei o dia inteiro!
Como tb tem mulheres que deixam para pedir tudo a noite quando o esposo chega em casa e antes dele relaxar ,lá vem uma enxurrada de reclamações e trabalho...
É o acordo que deve ter entre a família.
Graças a Deus que mesmo sendo minoria em meu harém de três espécimes masculino ,eles me ajudam bem.
Todos trabalhávamos fora ,entao quem chegasse em casa primeiro preparava o lanche p os que chegariam em seguida...
Esse ano trabalho apenas em casa e na casa de minha mae cuidando do meu padrasto , com restauros ,pesquisa e digitação de trabalhos nas poucas horas livres que tenho . Mas me sinto sobrecarregada em ter que ir uma e as vezes duas no hospital .Cansa um pouco.
No entanto é melhor que ficar na rodovia por 4 horas seguidas indo ao Rio... [emoji19]

Enviado de meu SM-J320M usando Tapatalk

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Então, Maressa, você praticamente concordou com todo mundo aqui sobre a tal "jornada dupla" e mesmo assim continua a favor da mulher aposentar antes. Isto é exatamente o que eu tinha dito alguns posts atrás: não adianta criar uma nova categoria chamada "femista" para tentar tirar da reta a responsabilidade das feministas nas injustiças contra os homens.

A divisão do trabalho doméstico, quando a mulher trabalha, é algo que o casal tem que conversar e decidir juntos, não faz sentido passar uma lei previdenciária injusta. Essa desculpa só serve pra quem está se beneficiando às custas dos outros contribuintes

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Só penso que muitas mulheres realmente se sobrecarregam ,seja por falta de esclarecimento, seja por não saber ou não poder se impor em seus lares e dividir tarefas...
Realmente não é fácil ser mãe,Dona de casa , profissional e mulher . As que têm ajuda acabam sendo uma exceção.



Enviado de meu SM-J320M usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
22 hours ago, Maressa Kristorm said:

Se todos pensassem assim seria muito bom.
Muitos esposos não cooperam em nada com os trabalhos do lar e dizem:
-Estou cansado, trabalhei o dia inteiro!
Como tb tem mulheres que deixam para pedir tudo a noite quando o esposo chega em casa e antes dele relaxar ,lá vem uma enxurrada de reclamações e trabalho...
É o acordo que deve ter entre a família.

Mas isso é uma questão puramente cultural. Agora, com ambos trabalhando fora, e com todas as conquistas do movimento feminista, a tendência é as coisas serem iguais. Antigamente era dever da mulher cuidar da casa. Mulher não trabalhava fora, ela tinha que cuidar da casa, não existia opção. Com o passar dos anos ela conquistou o direito de trabalhar, mas continuou com o dever de cuidar do lar. Hoje muitas já não fazem mais a dupla jornada, a taxa de natalidade vem caindo exatamente porque a mulher está conseguindo o poder de decisão. Então, daqui a alguns anos, o poder estará balanceado, e as decisões serão tomadas sempre em conjunto.

Não sei se a história é verídica, mas já li em alguns lugares que a pílula anticoncepcional masculina existe já faz algum tempo, mas não é comercializada por questões culturais. Ela poderia transferir ao homem a decisão de ter filhos e, com isso, muitos homens seriam responsabilizados pelo nascimento de uma criança, algo que hoje é tipo popularmente como 100% "culpa" da mulher.

Esse mês vi que existe uma onda de casos na Inglaterra onde homens estão tirando a camisinha no meio da transa pra "devolver o poder ao homem". Em pleno 2017 eu acho isso inconcebível.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×