Jump to content

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation on 08/10/2018 in all areas

  1. 2 points
    Pois é. Mas sou muito ignorante em investimentos e tenho medo de fazer merda. Preciso estudar mais um pouquinho antes de investir em algo mais rentável do que previdência privada.
  2. 1 point
    Sim preços abusivos, mas é uma vez por ano, ao contrario dos 30% de todas as transações no ecosistema E aparentemente o ecosistema da apple vai muito bem... https://techcrunch.com/2018/06/04/app-store-hits-20m-registered-developers-at-100b-in-revenues-500m-visitors-per-week/ 100 bilhoes em receitas somente pela venda na loja, sim é nescessario a venda de celulares e tablets, mas convelhamos tirar 30% de 20 milhoes de devs é muito mais lucrativo.
  3. 1 point
    Ainda lendo esse...estou fazendo anotações... "Este livro escrito por Virginia M. Axline retrata a história de uma criança em busca de si mesma. A criança chama-se Dibs filho de um renomado cientista e de uma cirurgiã, irmão de Dorothy. Logo no começo do livro vemos a diferença entre ele e os demais alunos. Na hora de ir ao almoço na escola todas as crianças faziam o barulho habitual e corriam de um lado ao outro, mas Dibs se encontrava quieto, no canto da sala, cabeça baixa e braços dobrados. A psicóloga da escola tentou se aproximar da criança, mas não houve sucesso e o mesmo aconteceu com a pediatra, nele havia uma repulsa pelo jaleco branco onde o mesmo ficava com mãos em garra a ponto de se defender. E assim crescia a duvida se seria retardo mental, psicopatia ou até mesmo lesão cerebral. As equipes de professores começaram a ficar preocupados com o caso do garoto e decidiram tomar algumas atitudes quando os pais dos outros alunos começaram a reclamar do comportamento estranho de Dibs e sobretudo depois que ele arranhou uma criança. Nesse momento convidam a psicóloga Virginia para participar de uma reunião onde explanariam o caso de Dibs. Nessa reunião a professora diz que a mãe do garoto é complicada que ela prefere acreditar que o filho é um retardado mental do que emocionalmente perturbado e que talvez a própria mãe seja a responsável. Virginia decide fazer ludoterapia com seu mais novo paciente caso os pais concordassem. Na manhã seguinte a psicóloga chega à escola primeiro que as crianças na busca de obter mais informações acerca de Dibs na tentativa de ajudá-lo a se alto decifrar. A professora Miss Jane diz que nunca se sabe o estado de ânimo dele que jamais alguém da escola o viu sorrindo ou um ar de felicidade. Virginia ficou ali observando as crianças chegando à escola, todas com ar de felicidade retirando seus chapéus pendurando cada um seu próprio cabide. Logo em seguida Dibs chegou com sua mãe que o conduziu pra sala de aula. A professora perguntou se ele gostaria de retirar o casaco, mas nada respondeu. A criança estava pálida e a professora como de costume tira o sobre tudo e o chapéu de Dibs. O garoto é chamado por outro colega, mas se não fosse pela rapidez do colega em se desviar levaria uma arranhão de Dibs. Os pais aceitam a ludoterapia e Dibs começa a chamar de D.A. a terapeuta Virginia. As terapias foram feitas no Centro de Orientação Infantil onde Virginia trabalhava. Os brinquedos iriam fazer a criança sentir suas próprias emoções buscando encarar o medo a fim de diminuir o sofrimento e dor. No inicio o analisando ficava quieto, mas depois foi se abrindo a terapia. As portas não poderiam ficar fechadas no começo e DIBS demonstrou que não gostava de seus pais e da irmã Dorothy. A forma como DIBS falava pra sua idade era impressionante, uma linguagem cheia de força. A cada sessão era notável um melhoramento e o primeiro sinal disso foi quando ele passou a tirar seu casaco e sapato. Começou a nascer uma resignificação onde o ódio, medo, raiva começaram a ser substituídos pelo sentimento de confiança e alegria. A criança passou há ficar menos tempo em seu quarto e foi sendo mais aceito em casa, passou a conversar mais com seus pais e já comia na mesa com a família. E pra animo dos professores, Dibs passou a se interessar por atividade em grupo e a fazer amizades, ao passo que foi percebido que a criança não tinha nenhum retardo mental pelo contrário era dono de uma inteligência incrível que se manteve guardada por tanto tempo, mas que agora estava sendo exteriorizada e trabalhada. Graças a D.A Dibs conseguiu se auto conhecer e demonstrar seus sentimentos, pois antes os sentimentos ficavam escondidos, guardados dentro de si causando momentos de crise raivosa. Dibs foi rejeitado desde o ventre de sua mãe a grande cirurgiã que assim que ficou grávida achou que tudo em sua vida tinha acabado e que sua carreia profissional estaria arruinada. E quando nasceu esse peso em suas costas aumentou ainda mais, pois a culpa da mãe trabalhar e do casamento não está tão satisfatório como antes estava sobre Dibs. Partindo disso nas sessões de ludoterapia Dibs descobriu que existe o perdão. A criança fez uso dessa ferramenta perdoando seus pais e sua irmã, podendo se abrir ao seu autoconhecimento, resignificação e crescimento. " Dayvison Heber
  4. 1 point
    Puro vício...achei o jogo no meu notebook por acaso e já estou eu tentando zerar esse jogo que ficou engasgado na minha garganta por anos a fio ,sem finalizar... Plantas Versus Zumbis http://www.jogos360.com.br/plants_vs_zombies.html
  5. 1 point
    Hahahaha...não entendi nada Brek, mas se vc achou que é bom pra gente tudo bem! Desde o ano passado comecei a me interessar por crianças e adolescentes com necessidades especiais ,sempre tive alunos inclusos em minha sala e buscava fontes que me ajudavam a lidar com cada um de acordo com sua necessidade : retardo mental, síndrome de Down e outras coisas mais...quando lecionava para uma turma com alunos incluídos me sentia um pouco incapaz de tocar o íntimo deles e me desdobrava em pesquisas para ajudá-los efetivamente.Dava todo meu carinho possível a uma turma com 45 ou mais adolescentes e um ou mais com necessidades especiais. Anda acontecendo que estou fazendo um curso on line para lidar com crianças e jovens com necessidades especiais e já fui procurada para lecionar para uma jovem de 24 anos que teve um AVC e está voltando a falar e querendo reaprender a ler.Busquei ajuda de uma profissional fonoaudióloga amiga minha para me dar apoio e estou me preparando para entrar nesse universo...um pouco ansiosa ,pois achei interessante as coincidências...comecei a ler : Uma criança tratada como especial até os 5 anos ,mordia e arranhava alguns que tentavam se aproximar ,não se ouvia a sua voz ,apenas grunhidos e que de repente se encontra com uma psicóloga que resolve envolver o menino num tratamento utilizando como método da ludoterapia (método que usa o jogo e brincadeiras para conseguir a interação do paciente e assim conseguir aliviar algumas tristezas e traumas deles) Essa futura aluna minha, perdeu um bebê e em seguida teve um AVC, perdeu a fala e todos os movimentos , hoje depois de dois anos já movimenta um lado do corpo e fala com dificuldade, pois teve fazer traqueostomia ficando um bom tempo assim. Entrando nesse universo em 4,3,2...
  6. 1 point
    Faça aposentadoria privada, invista em vários lugares diferentes, mesmo que seja um pouquinho em cada. As regras de aposentadoria já mudaram, e a tendência é mudar sempre pra pior.
  7. 1 point
  8. 1 point
    Li meses atrás , fala sobre a superação de várias fases da vida através da determinação e de versículos da bíblia. Lendo : Fazendo pequenas anotações pra passar adiante...vou demorar um pouco. Comecei a ler por influencia de um amigo que lia e fotografava algumas páginas pra que eu me interessasse pelo livro,de tanto ele fazer comercial de como esse livro estava ajudando sua vida emocional ,comecei a ler.Mas tb é do tipo que não consigo ler sem fazer anotações pois é muito rico. Estou amando e tem uma linguagem bem clara sobre como a gente sabota nossa vida com ações,pensamentos e costumes...muito bom. Os tópicos são pequenos e os assuntos abordados bem fortes e intrigantes. Nas leituras da bíblia estou no livro de Isaías , então já li 23 livros com a conclusão desse essa semana. Lendo vários artigos de livros e revistas sobre a aprendizagem da criança com Síndrome de Down para ajudar em um curso que estou fazendo. E isso é tudo !
  9. 1 point
    Toda vez que volto o fórum tá diferente, sempre se adaptando aos novos designs, muito bom! Terminei minha graduação em Ciência da Computação e agora estou no mestrado na mesma área, com foco em Sistemas Distribuídos. Estou trabalhando com P&D em big data numa start-up aqui da região, estamos tentando fazer as coisas virarem! Entretanto estou numa crise de existência profissional, fazer as coisas virarem é bem frustrante hahaha, ainda mais quando o negócio não é seu, provavelmente tentarei mais esse ano e caso não role vou trampar com alguma empresa da capital, que o trabalho é menos divertido mas mais certo. Esse ano vou começar a palestrar em alguns eventos na capital e aqui no interior também, isso está me dando um pouco de ansiedade mas muito mais empolgação! Acho que ultimamente é isso aí que tem rolado. Tô vendo apartamento pra comprar também (mesmo que comece a trampar na capital, acho que não abro mão da qualidade de vida do interior paulista). Saudades de vocês!
×
×
  • Create New...