Jump to content

Ursozord

Membro
  • Content Count

    5,563
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    89

Ursozord last won the day on August 9

Ursozord had the most liked content!

Community Reputation

664 Excelente

1 Follower

About Ursozord

  • Rank
    Membro Avançado
  • Birthday 02/04/1988

Informações de Perfil

  • Sexo
    Male

Recent Profile Visitors

5,147 profile views
  1. https://www.epicgames.com/store/pt-BR/product/hyper-light-drifter/home https://www.epicgames.com/store/pt-BR/product/mutant-year-zero/home Por tempo limitado. Requer uma conta Epic Store.
  2. Esse Kengan Ashrua me conquistou. Fazia um bom tempo que eu não aguentava mais acompanhar serie de colegiais.
  3. https://www.epicgames.com/store/pt-BR/product/for-honor/home https://www.epicgames.com/store/pt-BR/product/alan-wake/home Por tempo limitado. Requer uma conta Epic Store.
  4. Guerra Fria 3: O retorno do camarada urso
  5. https://www.epicgames.com/store/pt-BR/product/torchlight/home Por tempo limitado. Requer uma conta Epic Store.
  6. https://store.steampowered.com/app/226840/Age_of_Wonders_III/ Por tempo limitado. Requer uma conta Steam.
  7. Ursozord

    DOOM vs DOOM

    Comparando o próximo jogo da franquia com o estilo antigo.
  8. Teenage Mutant Ninja Turtles: O Rescue-Palooza é um jogo gratuito de beat-em-up feito por fãs baseado no TMNT. Este jogo é descrito como uma atualização e homenagem aos títulos clássicos do NES, com toneladas de personagens jogáveis pela primeira vez. Teenage Mutant Ninja Turtles: O Rescue-Palooza possui 60 personagens jogáveis, 17 estágios, 4 estágios Bonus, cooperativa local para 4 jogadores, gráficos aprimorados, clipes de voz do programa de TV, veículos montáveis e inúmeras referências ao desenho animado e linha de brinquedos originais TMNT. Download: https://gamejolt.com/games/teenage-mutant-ninja-turtles-rescue-palooza/39658
  9. Capítulo Cinco: O sangue de dois mundos. Reino de Samus. 04:00 Brek se adiantou rapidamente enquanto o túnel atrás desmoronava e suspirou se odiando profundamente pelo que fez com Armitrax: Em como o manipulou continuamente desde que vieram ao reino de Samus para não atrair suspeitas e amaldiçoava o clero superior por não o ter escutado e o enviado em missão solitária, mas compreendia toda a insegurança e incerteza que a Ordem possuía contra ele, afinal para muitos cidadãos de Brekkia era comum dizer que o mundo começou a acabar em Samus. Por isso haviam determinado que Armitrax fosse a mão direita de Brek, pois caso fosse real, caso Brek realmente não fosse o patriota fiel qual fez todos acreditarem, então dificilmente conseguiria o arqueiro conseguiria vencer contra um dos melhores guerreiros de toda Brekkia. "Ignorantes infelizes" — Conclui o cavaleiro balançando a cabeça para afastar as memorias do passado e por fim chegar a uma enorme porta quase completamente quebrada, de madeira podre. Sem dificuldades à atravessou, se encontrando com uma pequena sala onde haviam duas escadas diferentes, uma mais ao canto e outra ao lado de uma estatua de pedra ainda intacta, uma jovem mulher sorridente sentada com uma bebê em seu colo. Uma mãe afável e desejosa aos olhos de qualquer um. Brek admirou-a por alguns segundos, como um fantasma do passado, então se apressou pela escadaria ao seu lado e seguiu por ela ignorando duas portas e um vão escuro, até finalmente parar no segundo vão que surgia e seguir por ele, mesmo na completa escuridão, mas sabendo com maestria por onde tudo estava e sem medo algum de se quer tropeçar, tal qual um adulto caminhando na escuridão da noite em sua própria casa, até que finalmente o cavaleiro encontra um portão de madeira trabalhada, avermelhado como brasa e que por ele vinha uma fraca luz e decidiu ir em sua direção. Além se encontrava um grande salão, com um teto decorado em tecidos coloridos, bandeiras e laços, que mesmo nesta fraca luz, que se esgueirava como um ladrão vinda das janelas mais ao fundo, ainda assim entregavam uma sensação nostálgica ao cavaleiro que observava com certo carinho o salão cujo o chão quase todo decorado por imensos blocos de pedras brilhantes pareciam lutar para conseguir reluzir o menor raio de luz e as paredes ricas de espelhos altos, velhos e rachados, lotados de pó onde já era impossível refletir algo. Mais a frente, em meio a estatuas desfiguradas de duques e cavaleiros haviam lustres retorcidos caídos ao chão era de onde a luz da manha começava a surgir e foi para onde Brek se dirigiu sem perceber, ao se lembrar como corria livremente por este e outros salões para o desespero completo das criadas e risadas dos convidado. Neste momento uma voz serena, feminina, começou a ressoar pelos tijolos das paredes fazendo o coração preso na caixa se debater e Brek retirar seu capacete, jogando-o para o lado. Sentia o metal em seu rosto começar a sufoca-lo. Tão logo o metal tocou o chão o cavaleiro não estava mais sozinho, pois por todos os lados, desde a entrada até a ponta mais escura do teto haviam fantasmas observando-o. Parados em silencio, encarando-o, como pilares de fumaça que ia e vinha enquanto a luz junto a brisa da manha os desfazia. Brek sabia quem eram, sabia quem cada um deles era, mas isso não o deixava assustado ou orgulhoso, apenas seguiu atravessando quem estivesse em sua frente como uma neblina fria, o cavaleiro seguia em silencio atravessando pequenos corredores e algumas escadas, cada vez mais adentro do castelo e finalmente parar no meio de um enorme salão, o saguão principal de todo o castelo. Brek olhou para o alto onde o salão dava lugar a um vão gigantesco que se estendia até o topo e além. Aqui não havia mais olhos frios o perseguindo, apenas o barulho do vento que assombrava solitário e a chuva fina da manha que descia do topo, uma redoma gigante de vidro todo quebrado que mal conseguia se segurar nas bordas, por onde a chuva caia diretamente sobre a enorme mancha verde bem no meio do salão, como sangue velho de um corpo abandonado por todos menos pelo musgo e pelo próprio cavaleiro, pois foi aqui neste exato local que sua mãe morreu e o mundo acabou. O cavaleiro voltou a olhar uma ultima vez para o alto, deveria ser por volta das quatro da manha. Por vezes havia sonhado em voltar para este local, por anos havia esperado e calculado, mentido e guardado em segredo tudo que um mundo cego jamais compreenderia, mas finalmente ele estava aqui. Este momento era de fato real e ele respirou fundo para fazer o que precisava ser feito, então sem hesitar retirou pegou adaga que sempre havia carregado em segredo, o primeiro presente de seu pai, olhou uma ultima vez para o céu, com algumas gotas caindo em seu rosto e imediatamente cravou a adaga bem no meio dos olhos! Sem medo! Sem hesitar! Ele ainda pôde ver e sentir seu sangue correr quente e mesmo quando caiu de lado no chão com a visão já à falhar, ainda assim percebeu quando o sangue de dois mundos colidiram criando e uma explosão violentíssima de luz invadindo e preenchendo tudo em seu caminho! Fim.
  10. Para um filme de poucas horas se isso for verdade vai ser um tiro no próprio pé... ou quem sabe x serão citados/fazendo pontas e não diretamente na trama.
  11. Santa volta triunfal da saga Tales!
  12. Sai amanha pelo menos o Shang-Tsung.
×
×
  • Create New...